Um retrato do consumo de cinema no Brasil em 2013

Image

 

Analisando as 20 maiores bilheterias registradas em 2013 verificamos que:

1) 4 filmes nacionais dentre os 20 maiores (em Renda e ou Público): Minha Mãe é uma Peça, De Pernas pro Ar 2, Meu Passado me Condena e Vai que dá certo;

2) Dos 4 filmes nacionais, dois são produzidos ou co-produzidos pela Globo Filmes: Minha Mãe é uma Peça Meu Passado me Condena. E os 4 filmes nacionais são interpretados por atores e ou comediantes globais. Os filmes também são todos influenciados pela estética televisiva dos programas globais. Não assisti qualquer um desses filmes. No entanto, amigos que confio apontam que o 1º desses filmes, mesmo sendo despretensioso é bem dirigido.

3) Dos 20 filmes mais populares de 2013, somente 5 são Baseados em roteiros originais. São eles: Minha Mãe é uma Peça, Detona Ralph, Meu Passado me Condena, os Croods e Vai que dá certo. Todos os outros 15 são continuações ou roteiros baseados ou inspirados em universos e personagens conhecidos;

4) Todos os 20 filmes possuem temática adolescente ou juvenil;

5) Desses 20 filmes, 4 são aventuras de de Heróis vindos dos quadrinhos: Homem de Ferro 3, Wolverine – Imortal, Thor – o Mundo Sombrio e o Homem de Aço

O que podemos discutir sobre essas informações:

  • existem questões sociais e econômicos que explicam um sortimento tão ruim dentre os filmes populares em 2013. No entanto, o quadro do cinema brasileiro não difere muito do cinema americano, ou mesmo de países mais avançados. Não se espera filmes de temática adulta perfilando as maiores bilheterias. Espera-se, no entanto, a presença de entretenimento inteligente, na forma de filmes bem feitos e dirigidos.
  • O cinema brasileiro mostra sua trágica dependência da estética televisiva, e da Globo filmes em especial. O Brasil tem um claro potencial de produzir cinema popular e de boa qualidade, profundamente apoiados na nossa realidade mas universais para serem compreendidos em outros países. Nossa matriz cultural e social, além da nossa indústria relativamente estruturada, nos credenciam para isso. Podemos sim exercer, um dia, uma espécie de Soft Power global  através do nosso cinema, o que nossa música aliás já faz (ou já fez, sei lá…)
  • Essa análise pobre explica a assunção das (boas) séries de TV na indústria do audiovisual. Muita gente boa no cinema tem se aventurado na televisão, seduzidos pelo ambiente mais propício para produzir e trabalhar conteúdos de maior qualidade. Já discuti esse tema num texto recente que publiquei nesse espaço.

 

O cinema, ou ao menos a Indústria de cinema, está em crise? Bem, existe gente competente dizendo que sim, no entanto o cinema já foi emparedado antes, pela Televisão e mudança do seu público alvo. Acredito verdadeiramente que ele saberá reagir às forças contrárias. Mas a fotografia do momento entristece.

Ou dá uma baita preguiça…

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s